De Aníbal V a 29 de Janeiro de 2009 às 12:09
Contrariamente a outras línguas, o português separa claramente o ser do estar.
Assim, ser remete-nos para o estrutural, para o permanente, enquanto o estar refere-se ao conjuntural, ao temporário, ao transitório, ao efémero, ao que se altera.
A felicidade, tema trazido neste post, é um sentimento.
Sendo um sentimento, é algo que é experimentado, de forma tendencialmente transitória, logo tem a ver com o estar e não com o ser.
Ninguém é feliz de modo estrutural e permanente; não se trata de uma questão de carácter, mas é função das circuntâncias e da forma como elas são vividas interiormente por cada um.
Ninguém tem um sentimento de forma estrutural e permanente; por mais que seja longo o tempo que o experimenta.
Penso que os prezados comentaristas anteriores não atenderam à natureza sentimental da felicidade e não distinguiram o ser do estar.Ou estarei enganado?

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres