14.10.10

 

Quantas vezes dei por mim a pensar, como é possível. Será que ela tem alguma coisa em especial? Mas ela é tão pequenina, tão pequenina, tão frágil.

É possível, ela tem um jeito próprio de quem é mãe, não interessa se é primeira vez se é segunda. É certo que ela tem um dom. O dom do amor. Não tem explicação. Não tem origem. Não é algo que se vai buscar a um qualquer lado… Se calhar tem explicação, se calhar tem origem e se calhar vem de algum lado; mas o que é que isso interessa? O Amor é o mais importante. Agora que penso um pouco mais, interessa, se calhar, reter que para amar basta concerteza ter sido amado(a), ter sido feliz. Mas a questão é de onde vem esse amor. O amor vem do amor, o amor vem de mais amor, o amor multiplica e soma mais amor, o amor é algo que não sei bem, sabe-se mas ao mesmo tempo…

 

É o amor que nos conforta, nos segura, nos trata, nos cura, nos quer, nos faz sentir bem quando estamos mal, é o amor que nos faz sentir vivos. É o amor.

Quando nos ralha, quando nos portamos mal. É o amor que nos faz andar para a frente, ou para trás quando é caso disso.

O amor pode ser belo… É belo. O amor deve ser belo. O amor deveria ser belo…

Quando sentimos aquele aperto no coração, aquele palpitar mais intenso, aquela dorzinha de barriga, como se de um nó se tratasse. O amor resolve…

Mas quando tudo parece não ter solução, quando tudo parece perdido, quando a solução não está à vista, quando não há solução, então aí, então aí chamamos de mansinho e muito baixinho – mãe … mãe – e tudo parece agora diferente, mais fácil, mais leve, mais alcançável, mais verdadeiro, mais tudo. E esse tudo que é quase tudo, é o amor de mãe.

 

Coisas a fazer:

Acrescentar uma errata ao dicionário: onde se lê mãe deve-se ler Amor e onde se lê Amor deve ser lido Mãe.

 

Obrigado mãe. Obrigado pela transferência desse teu AMOR infinito.

 

Diogo Ricou

 

Temas: ,
Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 22:05  Comentar

Praia | Cabo Verde

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Equipa

> Alexandra Vaz

> Cidália Carvalho

> Ermelinda Macedo

> Fernando Couto

> Inês Ramos

> Jorge Saraiva

> José Azevedo

> Maria João Enes

> Marisa Fernandes

> Rui Duarte

> Sara Silva

> Sónia Abrantes

> Teresa Teixeira

Outubro 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
13
14
16

17
18
20
21
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Arquivo
2019:

 J F M A M J J A S O N D


2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
Entendi a exposição, conforme foi abordada mas, cr...
Muito obrigada por ter respondido ao meu comentári...
Obrigado Teresa por me ler e muito obrigado por se...
Apesar de compreender o seu ponto de vista, como p...
Muito agradecemos o seu comentário e as suas propo...
Presenças
Ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: