De José Quelhas Lima a 21 de Março de 2010 às 23:15
A crise de autoridade dos professores,por mais evidente e grave que seja (e é,na realidade),não pode nunca justificar o regresso ás "...reguadas e castigos similares...".Fala quem sabe...
Se seguíssemos a mesma linha de raciocínio,por exemplo em relação à justiça,facilmente nos veríamos a acender fogueiras e restaurar pelourinhos.

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres