De Diogo Ricou a 28 de Janeiro de 2010 às 23:17
A vida é muito curta, um instante talvez, e, partindo desse pressuposto, penso que deve ser vivida e não sofrida. O viver intensamente é extrínseco ao facto de não haver dinheiro, claro que os € ajudam, mas não são absolutamente necessários para se ser feliz. Penso que a família está diferente, e os membros querem sempre mais e mais. Mas essa busca pela felicidade material nunca acaba pois nunca é suficiente. A verdadeira felicidade é feita de pequenas coisas, pequenos nadas, como alguém uma vez disse, No entanto quando o que nos move é o dinheiro, os bens, então aí não há casamento que aguente. O casamento passa chamar-se empresa com um único objectivo: acumular "lucros" .O Casamento significa união, inicio de familia, não significa consumo, claro que todos gostaríamos de "ter". Chama-se sonho ou sonhos, todos os temos, mas o mais importante é a família enquanto união, até porque aparecem e muito bem os filhos e pelo menos para mim tudo o resto passa a acessório, os carros, as férias e tudo o mais que a minha mente tenha imaginado. Não quero com isto dizer que não se deve sonhar, os sonhos são porventura uma das partes mais importantes da nossa vida. sem eles a vida não tem sentido. Quanto ao final do artigo, penso que teve o chamado final que ninguém esperava, a ganancia, e talvez algum desespero levam as pessoas a cometer actos que de alguma forma consideramos incorrectos mas afinal quem somos nós para julgar.....
Diogo Ricou

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres