De Marcolino - Fotografia a 13 de Outubro de 2009 às 14:15
Olá, Ana!
Adorei este seu artigo, e adorei saber que também lê, tal como li, logo no incio dos anos 60, Simone de Beauvoir!
Sou um velho, mas daqueles velhos que sabe de onde veio, e até onde pode ir, sem importunar, familia, amigos quiçá conhecidos, desejando sempre ser autónomo e independente.
Quão velho serei eu? Minha Vida é um puzzle de vivências diárias, em que cada dia é uma pecinha que se encaixa, dentro das suas medidas, nas anteriores. Quantas peças tem já meu puzzle? Apenas lhe darei a saber se souber multiplicar os 365 dias de cada ano por 67...!
Adoro a minha velhice. Amo todos os que me rodeiam. Nunca me senti excluido, e jamais sobrestimado.
Vivo sem passado, porque a isso me determinei, para assim poder ser um velho, capaz de entender, os jovens e as suas vivências actuais!
Dedico-me a mim mesmo. Dedico-me ao Voluntariado. Dedico-me à fotografia, em fim, dedico-me, a tempo inteiro, à minha Velhice!
Abraço
Marcolino

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres