De Augusto Küttner de Magalhães a 24 de Julho de 2009 às 04:35
Tendemos a interiorizar a ideia de que o ser humano é intrinsecamente bom, depositário à nascença de todas as virtudes e originalmente isento de defeitos. Sentimentos menos nobres decorreriam apenas de assimilações culturais, ou seriam socialmente adquiridos.

Como é evidente esta frase propositadamente é uma inverdade, e geneticamente – também,- temos caracteristicas à nascença recebidas da nossa mãe e do nosso pai, que já nos ajudarão ser bonzinhos ou bem mauzinhos. Logo não nascemos “limpos” e depois nos estrgamos por cá, conforme as condições.
Como é mais que evidente estas condições, ajudam e muito a estruturar-nos ou bem pelo contrário!!!!
Logo sem nunca esquecer o que já vem no nosso quadro genético temos que ter um bom ambiente de vida, para não sermos desregrados, se o inverso verdadeiro fosse, facilmente todos seríamos tão bonzinhos. O que seria uma maçada, todos tão iguais.
A aposta, é (seria) assumir-se as caracteristicas genéticas à nescença e orientá-las ( não anulá-las – NUNCA)para o melhor possivel, ser-se boa Pessoa, e não o inverso, sempre com diferenças, sempre com excepções e com uma percentagem minima de maus, o que não e o caso!!!!!!

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres