18.4.16

Woman-PublicDomainPictures.jpg

Foto: Woman – Public Domain Pictures

 

Há pouco tempo, numa das tantas viagens pelo mundo imenso que é a Internet deparei-me com uma daquelas frases cliché que toda a gente partilha nas redes sociais: “A falta de responsabilidade de uns acaba por atrapalhar a responsabilidade de outros”. Acabou por dar o mote a este texto. Porquê? Porque há algo, ultimamente, que me tem inquietado o pensamento, fruto também da minha vivência no mercado de trabalho.

 

Numa vivência em comunidade e em sociedade, como é a nossa, o relacionamento com o(s) outro(s) é fundamental e imprescindível. Mas se assim é, como podem existir pessoas que não se importam com a forma como as suas atitudes, decisões e comportamentos afetam a vida dos que lhe são próximos?

Como pode haver quem consiga deitar a cabeça na almofada, à noite, e dormir descansado e tranquilamente quando, por exemplo, não paga aos seus funcionários? Quando sujeitam os trabalhadores a situações de trabalho precárias, muitas vezes, demasiadas vezes, utilizando o argumento “crise”, que vai servindo para tudo, para justificar uma má gestão e administração? É o vale tudo? Como pode uma pessoa ser tão inconsciente da consciência de outro ser humano?

Pois eu tenho bastante dificuldade em compreender como alguém, que sujeita outrem a tal, consegue conviver consigo mesmo. Continuo a ter dificuldade em compreender como alguém não tem consciência da sua irresponsabilidade perante os outros.

 

Extra questões laborais: Se a nossa vivência é em comunidade, se vivemos em sociedade, não deveríamos nós olhar mais para o vizinho do lado, para as pessoas que nos rodeiam? Cada um de nós tem as suas responsabilidades, mas muitas vezes esquece-se que a sua (ir)responsabilidade afeta, direta ou indiretamente, a responsabilidade dos outros.

 

Sandra Sousa

 

Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 09:30  Comentar

Praia | Cabo Verde

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Equipa

Alexandra Vaz

Ana Martins

Cidália Carvalho

Ermelinda Macedo

Estefânia Sousa Martins

Fernando Couto

Fernando Lima

Jorge Saraiva

José Azevedo

Leticia Silva

Rui Duarte

Sandra Pinto

Sandra Sousa

Sara Almeida

Sara Silva

Sónia Abrantes

Tayhta Visinho

Teresa Teixeira

Vanessa Santana

Abril 2016
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
12
14
16

17
19
21
23

24
26
28
30


Arquivo
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
Muito agradecemos o seu comentário e as suas propo...
Muito linda a canção. Obrigado por compartilhar!
Excelente artigo, uma verdadeira lição de vida par...
Parabéns pelo blog, gostei muito da maneira como e...
Obrigado SAPO.CV!!
Presenças
Outras ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: