7.3.16

YoungGirlSmiling-AnnaLangova.jpg

Foto: Young Girl Smiling – Anna Langova

 

Segundo a Janela de Juari, a nossa personalidade divide-se em quatro partes:

- aquilo que nós e os outros sabemos de nós;

- aquilo que só os outros sabem de nós;

- aquilo que só nós sabemos de nós e

- aquilo que nem nós nem os outros conhecemos

Inevitavelmente, a vida, que é a mais sábia de todas as energias, correntes e filosofias, fez-me sentir na pele que não chega só saber aquilo que está à superfície, e que, de uma maneira ou de outra, os outros conseguem ver em mim. Desde então, aprofundar este conhecimento de mim, é um desafio que tenho encarado com respeito, porque nem sempre estou preparada para o que vou descobrindo. Tal como quando percebi, que ainda não tinha crescido… foi absolutamente desconcertante! Mas na realidade, eu, tão cheia de dor, de mágoa, de saudade, de força e de amor para dar, era apenas alguém que até essa altura, se tinha amado apenas através do amor dos outros, que nunca tinha nutrido a sua criança interior, e que tinha uma árdua tarefa pela frente, mudar o que não gostava em si, aceitar a sua essência e, acima de tudo, amar-se.

 

Durante anos, mais propriamente entre os 11 e os 36 anos, odiei visceralmente o meu segundo nome, com o qual sempre fui tratada, e assim que saí da minha “rede” geográfica, apresentei-me por Ana, “Só Ana”, repeti milhentas vezes, “o segundo nome não conta”. Porém, graças e esta necessidade de me conhecer que a vida me impôs, hoje percebo que odiava o meu segundo nome porque me remetia para o lado mais desfocado da minha existência, para o generation gap tão presente na minha adolescência, para todas as coisas que, até de forma inconsciente, não gostava em mim, portanto, se me chamassem Ana, talvez a aversão ao nome fosse a mesma…

É assim que a vida também revela a sua força maior, potenciando em nós uma súbita necessidade de fazer um reset. O arranque é demorado mas vale sempre a pena, se estivermos recetivos às atualizações. À parte a metáfora informática, na verdade este tem sido um dos maiores esforços que tenho feito: conviver comigo em amor, escavar bem lá fundo as pedras em que tropecei para que o caminho seja mais suave e sereno, sem receio das pedras que me esperam. Crescer não é propriamente fácil, pois não? Principalmente quando concluímos que afinal a crença não traduz a essência. A mim ainda me falta um longo caminho, mas é o que tenho aprendido que me faz seguir em frente, doa o que doer. E não me dou outra alternativa, mesmo assustada.

 

Eu? Eu sou sorriso, força, tristeza e nostalgia. Eu sou saudade, sou amor, sou mau feitio, sou cinismo, sou ciúme. Eu sou mimo, carinho e amizade fiel. Eu sou Filipe e sou João, eu sou Maria Rosa e Augusto, eu sou Lucinda, Conceição e Paulo, eu sou Cláudia e Ana Oliveira. Eu sou uma mesa cheia de amigos. Eu sou a casa barulhenta da Castanheira. Eu sou todas as pessoas que fazem parte da minha vida, as que me magoaram e deixaram, e as que partiram, apesar de me amarem. Eu sou sardas e corpo de mulher cheiinha. Eu sou Triana, sou Foz, sou todos os sítios que amo. Eu sou quem me ama. E preciso de todos estes “eus” para que possa ser simplesmente EU, a minha pessoa, um ser autónomo, independente de todos os outros, sem colagens ou dependências, um eu resiliente que dança conforme a vida toca.

Eu sou a Paula.

Assinado: Paula Bessa

 

Ana Martins

 

Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 09:30  Comentar

Praia | Cabo Verde

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Equipa

>Alexandra Vaz

>Ana Martins

>Cidália Carvalho

>Ermelinda Macedo

>Fernando Couto

>Jorge Saraiva

>José Azevedo

>Leticia Silva

>Maria João Enes

>Rui Duarte

>Sandra Pinto

>Sandra Sousa

>Sara Almeida

>Sara Silva

>Sónia Abrantes

>Teresa Teixeira

Março 2016
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

13
15
17
19

20
22
23
24
26

27
29
30
31


Arquivo
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
Muito obrigada por ter respondido ao meu comentári...
Obrigado Teresa por me ler e muito obrigado por se...
Apesar de compreender o seu ponto de vista, como p...
Muito agradecemos o seu comentário e as suas propo...
Muito linda a canção. Obrigado por compartilhar!
Presenças
Outras ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: