13.9.15

DameUnBeso-XoanSeoane.jpg

Foto: Dame Un Beso – Xoan Seoane

 

Espera… cede-me um momento… e deixa que esse momento se perca no tempo, pois tenho todo o tempo para te ouvir… mas se o final do tempo chegou para ti, atrasa o relógio… volta atrás no tempo e com o que dele resta lutarei para que fiques…

“Deixa-me partir desta cidade, deste mundo… quero perder-me de mim. Ao meu redor só vejo as cinzas provocadas por um mundo em chamas, um mundo que desabou. Preciso procurar uma nova casa e se o que se esconde para lá do que podemos percepcionar pode ser apelidado de casa… então quero ir para casa… sinto-me sem forças e não me quero atrasar para o meu encontro… marquei encontro com o descanso eterno do outro lado da lua… no seu lado negro, frio e sombrio.

O coração já quase não bate por ninguém após tanta dor… as aspirações voaram com o vento após a tempestade de barreiras e obstáculos… se eu já não consigo dormir como poderei voltar a sonhar? Mas se não sonho então como pareço viver num pesadelo?

Faço-me à estrada… encontro-me sem Norte mas a bússola aponta-me o caminho… um caminho sem volta. Perguntam-me se vou morrer… não… pois já morri há muito tempo…”.

As pegadas que deixas no teu caminho são como sinais… signos com o seu significado à espera de serem decifrados… consigo juntar as letras e ouvir o som da tua voz a proferi-las… o mesmo vento que te levou as aspirações traz-me agora a tua mensagem… ”Salva-me”.

Não te aponto o dedo nem te julgo pela tua vontade… não te acuso de egoísmo… a sociedade é uma construção social fabricada pelo Homem e para o Homem… e ambos sabemos o que o Homem é capaz de fazer aos seus pares… a irracionalidade do ser racional levou a que a pouco e pouco te fosses alheando do imenso teatro que nos rodeia… já não queres ser a atração principal da tua vida, olhas para os teus documentos mas não encontras a tua identidade, não sabes o que são certezas pois em ti já só encontras dúvidas.

Por entre toda essa anomia ainda consigo vislumbrar uma imensa luz… não é a noite nas cidades que a irradia, nem tampouco o seu brilho provém de corpos celestes… é uma luz que nasce nos teus olhos capazes ainda de encandear… nos teus olhos ainda se reflete esperança, amor, um sorriso e o desejo de viver.

A tua vida não está mais perdida, pois eu encontrei-a e agora é o momento de a devolver a quem mais dela precisa…devolvo-a a ti.

“As flores não são mais cinzentas, os rios voltaram a correr para o mar, o céu vestiu-se novamente de azul, o sol renasceu, o vento voltou a soprar de forma melodiosa… e eu voltei a mim.

Falamos de momentos… e percebo agora que este não era o momento de partir, mas sim de ficar… e de viver… eu escolhi Viver…”.

 

P. Melo

 

Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 08:00  Comentar

Praia | Cabo Verde

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Equipa

Alexandra Vaz

Ana Martins

Cidália Carvalho

Ermelinda Macedo

Fernando Couto

Jorge Saraiva

José Azevedo

Landa Cortez

Leticia Silva

Rui Duarte

Sandra Pinto

Sandra Sousa

Sara Almeida

Sara Silva

Sónia Abrantes

Tayhta Visinho

Teresa Teixeira

Vanessa Santana

Setembro 2015
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

15
17
19

24
26

29


Arquivo
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
Muito agradecemos o seu comentário e as suas propo...
Muito linda a canção. Obrigado por compartilhar!
Parabéns pelo blog, gostei muito da maneira como e...
Obrigado SAPO.CV!!
Olá :)Este post está em destaque no "Cenas na net"...
Presenças
Outras ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: